27 maio A vaca foi pro brejo (Cruzeiro 1 x 2 Chapecoense – Campeonato Brasileiro 6ª rodada)


Salve, guerreiros!

Estamos apenas em maio desse ano, a aparentemente nosso ano acabou. O Cruzeiro de Mano vai acumulando revezes sucessivos. A confiança foi embora junto com a solidez defensiva celeste que era uma marca celebrada por time e torcida até bem pouco tempo. Sinceramente, não sei se Mano Menezes vai conseguir recuperar esse time, entretanto, não sou daqueles que acreditam em mudança no comando técnico neste momento. É aguardar a pausa para a Copa América, e esperar que nesse período o Cruzeiro consiga recuperar o que penso estar faltando: A confiança e o preparo físico. Vou explicar melhor na analise a seguir.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

O jogo

O Cruzeiro até não jogou mal, a bola é que insistia em maltratar nossos atletas. Furadas, espirradas, chutes sem direção. O jovem goleiro da Chapecoense nem teve tanto trabalho, pois nossas finalizações, dessa vez foram muitas, não ameaçavam sua meta. O fato é que, mais uma vez, a partir dos trinta do segundo tempo, a Raposa morreu. Ao tomar o gol aos quarenta do segundo tempo, não tinha mais pernas sequer para tentar o empate. Isso tem sido recorrente.

Primeiro tempo

O Cruzeiro começou a partida em cima da Chapecoense. Tentou resolver logo de início o embate, mas, foi esbarrando na incompetência no último passe e nas finalizações. A Chapecoense explorava os contra-ataques, e assustou com uma bola na trave. O 0 x 0 foi um placar até justo dado a falta de eficiência em matar as jogadas.

Segundo tempo

Esta etapa da partida reservava as emoções que não vieram no primeiro tempo. Mais uma vez o Cruzeiro empurrou o índio Condá em sua defesa, acertou a trave, mas, foi a Chape quem abriu o marcador. O enredo do gol é exatamente o que temos visto nas últimas partidas. Elicarlos, aquele mesmo que já jogou aqui, dá um balaço de fora da área, Fábio faz a defesa parcial, e sem a cobertura de nossos zagueiros, Rildo entra sozinho, dribla o goleiro celeste e chuta para o gol vazio.

A Raposa então vai em busca do empate que vem com um golaço de Thiago Neves bem ao seu estilo. O meia recebe passe de Robinho no bico da área, se desfaz da marcação e chuta de esquerda no ângulo sem defesa para Tiego. O Cruzeiro mantem a carga sobre a Chape pela virada, mas, quem marca o gol da vitória é o time de Chapecó. Em mais uma falha coletiva da defesa celeste.

Como já afirmei acima, o Cruzeiro não teve mais pernas para buscar a reação. Não teve reunião, conversa, semana cheia que resolvesse a questão do preparo físico. O Cruzeiro envelheceu seu elenco e agora paga por isso. Guerreiro de Ouro para Thiago Neves pelo gol. Hoje teremos um Guerreiro de lata duplo, Dedé e Léo não estão se entendendo na zaga e as recorrentes falhas na cobertura levaram o Cruzeiro ao posto de uma das defesas mais vazadas do brasileiro em pouco tempo.

Ponto para o Mano que admitiu em entrevista após nova derrota que o problema e tático e técnico. Eu incluiria a questão física também. Uma pena que o jogo da volta contra o Fluminense pela Copa do Brasil seja antes da parada. Por outro lado, é bom pois após a pausa teremos o River, e esse, será o jogo mais importante do ano até aqui.

FICHA TÉCNICA

Cruzeiro 1 X 2 Chapecoense

Motivo: 6ª rodada – Campeonato Brasileiro

Data: 26/05/2019 ( DOMINGO)

Local: Arena Independência, em Belo Horizonte – Minas Gerais, Brasil

Público pagante: 18.039

Público presente: 18.039

Renda: R$ 151.883,00

Gols: Rildo (Chapecoense), aos 6 min do 2T; Thiago Neves (Cruzeiro), aos 11 min do 2T; Diego Torres (Chapecoense), aos 39 min do 2T

Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva – FIFA (PA)

Cruzeiro: Fábio, Lucas Romero, Léo, Dedé, Egídio, Henrique, Robinho, Rodriguinho (Pedro Rocha), Marquinhos Gabriel (Lucas Silva), Thiago Neves (David), Fred

Técnico: Mano Menezes

Chapecoense: Tiepo, Caique Sá (Bryan), Gum, Douglas, Bruno Pacheco, Elicarlos, Márcio Araújo, Campanharo (Diego Torres), Arthur Gomes, Everaldo, Rildo (Aylan)

Técnico: Ney Franco

Cartões amarelos: Dedé (Cruzeiro); Bryan, Bruno Pacheco, Rildo (Chapecoense)

Mais uma semana cheia para trabalhar. O problema é que o adversário da vez é nosso tradicional algoz no Brasileiro, o São Paulo. Entretanto, o time paulista também não vem em bom momento, vamos torcer para a história ser diferente dessa vez, afinal, estamos precisando.

Por: Álvaro Jr

 

 

 


Deixe seu comentário, curta e compartilhe





Mais para você