27 set Análise | Abel Braga pode salvar o Cruzeiro?


Após apenas um mês e meio no comando do Cruzeiro, Rogério Ceni foi demitido pela atual diretoria celeste. Diante disso, Abel Braga foi rapidamente contratado pela Raposa e já deve comandar a equipe contra o Goiás; na próxima segunda feira. No entanto, Abel Braga é o salvador do Cruzeiro, ou apenas mais um para entrar no famoso ano do esquecimento para o torcedor celeste?

Situação Interna

Não é segredo para ninguém que o Cruzeiro vive momentos sombrios em sua direção. Com inúmeros problemas internos, incluindo acusações criminais e processos contra o patrimônio celeste; era óbvio que o desenvolvimento dentro das quatro linhas seria prejudicado.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Por isso, fica evidente que o principal desafio para Abel Braga; assim como para qualquer outro treinador que assumisse o clube; será blindar o vestiário cruzeirense de todos os problemas que assombram a instituição. Além disso, ainda há mais um problema: Agradar os medalhões do elenco que claramente recebem total respaldo de uma diretoria omissa.

Abel Braga pode funcionar?

Por isso, analisando mais friamente a situação, fica claro que o nome de Abel Braga era um dos mais prováveis e previsíveis para assumir a Raposa. Primeiramente, vale lembrar que Abel já trabalhou com a grande maioria dos medalhões do elenco; o que pode facilitar a comunicação entre eles dentro do vestiário, tornando o local até um pouco mais amistoso.

Em segundo lugar, o ex-treinador do Flamengo não é nenhum garoto, e já tem passagens por diversos clubes do Brasil, fazendo com que tenha currículo o bastante para bater de frente com algum jogador caso seja necessário. E por último, claramente tem dedo de alguns jogadores deste elenco na contratação de Abel; que já havia deixado claro que não assumiria times em trabalhos em andamento. Ninguém muda de ideia do nada, não é mesmo?

Para finalizar, a principal dificuldade de Abel será controlar o ego do vestiário celeste, e ter a consciência que, provavelmente, não ganhará uma queda de braço com os jogadores; assim como Rogério Ceni também não ganhou. Por isso, a contratação de um treinador que já conheça o ambiente e tenha a experiência necessária para gerir um grupo como esse era fundamental para o delicado momento que vive o Cruzeiro.


Deixe seu comentário, curta e compartilhe





Mais para você