28 out Chegou a hora de voltar a ser Cruzeiro!


No último sábado, dia 26 de outubro de 2019, o Cruzeiro recebeu o Fortaleza no Mineirão; em um jogo que poderia tirar a Raposa do Z4 da competição. Assim como nos últimos jogos disputados pelo clube celeste, o domínio cruzeirense foi nítido durante a maior parte do jogo; no entanto, o destino, através de uma falha individual, mas também coletiva, resolveu punir novamente o Cruzeiro.

O jogo:

Diante de pouco mais de 30 mil torcedores, o Cruzeiro de Abel Braga teve amplo domínio sobre o jogo. Com 67% de posse de bola e o triplo de finalizações que a equipe adversária (21 contra 7); com direto a bola na trave e um caminhão de gols desperdiçados, a Raposa batalhou arduamente até conseguir com Orejuela, aos 34 minutos da etapa final, seu merecido gol. Neste momento, a insistência, persistência e domínio cruzeirense na partida era coroado merecidamente com o que parecia ser o gol da vitória. Mas repito: PARECIA.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Pouco tempo depois, aos 38 minutos, o destino resolveu, mais uma vez, por punir o Cruzeiro de forma cruel. Em um gol chorado, após a falha individual do lateral esquerdo Egídio, seguido por uma falha coletiva da zaga cruzeirense, Wellington Paulista, aos trancos e barrancos, colocou água no vinho azul estrelado.

Após o gol, um filme se passou pelo cabeça de todo torcedor do lado azul de Minas Gerais. Por mais que o domínio seja evidente em todos os últimos jogos, por mais que o time lute durante os 90 minutos; parece que todo cruzeirense está fadado à mesma luta de 8 anos atrás, em 2011; quando a equipe mineira só se safou do rebaixamento na última rodada, com aquela histórica goleada por 6 a 1, sobre o Atlético Mineiro

Por mais que cada jogo tenha sua história e que cada história seja escrita dentro das quatro linhas, hoje o Cruzeiro paga por erros e crimes cometidos por quem governou a instituição durante boa parte deste 2019; e ao que tudo indica, essa dívida é grande e precisará ser paga com muita luta e muito suor. Caso contrário, nossa história será, infelizmente, manchada pela primeira vez; com um rebaixamento oriundo de uma má administração e corrupção sem precedentes por parte de quem não queremos mais citar o nome.

Próximos jogos: Vida ou morte!

A partir de agora, todo jogo é uma nova decisão, e cada batalha é um novo capítulo desta guerra. Por mais que a situação não seja das melhores possíveis, agora mais do que nunca é hora de apoiar. Seja das arquibancadas, do sofá da sala ou do fone do rádio, todo apoio é mais do que necessário. Cada jogo daqui em diante precisa ser tratado como uma final de campeonato.. e cá entre nós, de decisão a gente entende, não é mesmo?

Nos próximos jogos, é imprescindível que a vitória seja cruzeirense, independente da maneira, independente da ocasião, só as vitórias no tirarão de um lugar que nunca deveríamos ter chegado. Pois bem, chegou a hora, de mais uma vez, escrever páginas heroicas e imortais. Chegou a hora de voltar a ser Cruzeiro Esporte Clube, custe o que custar.


Deixe seu comentário, curta e compartilhe





Mais para você