08 ago Conhecendo o adversário – Cruzeiro x Palmeiras – BR2015


Um jogo cercado de polêmicas desnecessárias, essa é a definição para Cruzeiro x Palmeiras, pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro 2015. O jogo será de times com situações diferentes de trocas de comando. Por um lado, o oportunismo Palmeirense em contratar o melhor técnico do Brasil, quando selou a saída de Oswaldo de Oliveira. Do lado cruzeirense, inexplicavelmente houve a demissão desse “melhor técnico brasileiro” para a contratação de um profissional com no mínimo, 10 anos de defasagem no mercado.

Enquanto o Cruzeiro oscilava, com uma crise de gestão que se arrastou até o campo, o Palmeiras se encaixou. Marcelo encontrou na Academia pessoas que foram diretamente responsáveis pelos dois anos gloriosos na Toca (dispensam citações) e com um elenco recheado de boas opções (algumas até desnecessárias) em boa parte dos setores, deu liga ao time comandado por Oswaldo de Oliveira.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Hoje o adversário do Cruzeiro é talvez um dos poucos times com capacidade de duelar sem medo contra o time de Vespasiano na ponta do nacional. O time alviverde tem um único objetivo: vencer. Os jogadores sabem que a derrota para o Atlético-PR em casa custou caro e não se pode afastar do G-4.

Para o jogo entre Cruzeiro e Palmeiras, Marcelo Oliveira deve colocar Amaral na vaga de Gabriel, volante machucado que só volta na próxima temporada e era uma das peças importantes do esquema do ex-técnico cruzeirense. Na frente, o argentino naturalizado paraguaio Lucas Barrios entra no lugar de Leandro Pereira. O esquema permanece o mesmo que o próprio Marcelo implantou no Cruzeiro. Um 4-2-3-1, com saída forte pelas laterais com Lucas e Egídio, com apoio de Rafael Marques e Dudu pelos lados e Robinho (ou até mesmo Zé Roberto) trabalhando pelo meio. Arouca e Gabriel davam a qualidade na saída de bola e a proteção necessária ao time, que busca sempre o ataque.

Do outro lado, Vanderlei Luxemburgo terá que improvisar para escalar o time. Sem Mayke suspenso pelo terceiro amarelo, Ceará lesionado e Fabiano retornando de contusão, Leo é o escolhido para a lateral-direita. O zagueiro será improvisado no setor como em 2011, pelo técnico Vagner Mancini no emblemático 6 a 1 no Atlético-MG. A outra improvisação será no meio. A formação com três volantes, com um estilo de jogo que pregue “humildade”, como definiu Luxa antes do jogo contra o Sport será mantida com o lateral-esquerdo Fabrício no meio-campo. Mena segue na equipe titular na posição de origem.

Em 48 jogos pelo Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro venceu 19, empatou 14 e perdeu 15. Foram 66 gols marcados contra 62 sofridos. Curiosamente, o Cruzeiro jogou mais vezes fora do que em casa no histórico de partidas no Brasileirão. São 22 jogos com mando celeste contra o time paulista, com 12 vitórias, sete empates e três derrotas. Em São Paulo, com 26 partidas disputadas, o time celeste venceu sete, empatou sete e perdeu 12. A maior vitória do confronto no BR é o placar de 5 a 0 do Cruzeiro em 2007. Já os Palmeirenses chegaram a aplicar 4 a 0 em 1997. No ano de 2014, o Cruzeiro empatou uma e venceu a outra partida. Venceu por 2 a 1 no Pacaembu e empatou por 1 a 1 no Mineirão. É válido ressaltar que Cruzeiro e Palmeiras ainda se enfrentam mais três vezes, duas pela Copa do Brasil e uma pelo returno do Brasileirão.

Por: Matheus Tavares Rodrigues


Deixe seu comentário, curta e compartilhe





Mais para você