11 fev Conselho aprova empréstimo pedido pelo Cruzeiro (Atualização)


Uma assembleia reunindo conselheiros do Cruzeiro foi realizada nesta segunda-feira (11) para debater sobre um empréstimo milionário solicitado pelos diretores da raposa, que justificam o pedido baseando-se na necessidade de quitação das dívidas atuais. A atual diretoria vê o empréstimo como a melhor solução, já que as dívidas atuais possuem altas taxas de juros, o que seria diminuído em uma unificação da dívida.

Votação

Segundo o setorista, Guilherme Guimarães, 316 conselheiros do clube estiveram presentes na votação, e apenas dois votaram contra o empréstimo, que terá sua primeira parcela paga em agosto de 2020, diferente do que era especulado anteriormente, quando se falava em setembro do mesmo ano.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Como já noticiado anteriormente pelo Guerreiro dos Gramados, o empréstimo será de R$300 milhões, com juros de 9% ao ano. Serão sete parcelas semestrais, a primeira será paga apenas em agosto de 2020. O empréstimo será feito por um grupo de investidores estrangeiros; e o Cruzeiro não adicionou no acordo garantias de bens ou ativos do clube.

Quitar dívidas

Ao que tudo indica, o clube mineiro estará seguindo a partir de agora um projeto parecido com o que o Flamengo fez; quando solicitou um empréstimo milionário e quitou as principais dívidas do clube; incluindo as vinculadas na FIFA; e a expectativa é de que o Cruzeiro colha futuramente ótimos resultados do caminho que seguirá.

Atualização

De acordo com as atualizações mais recentes, o valor real do empréstimo é de R$285 milhões e terá um juros de 8,5% ao ano, totalizando R$ 372,4 milhões, após 18 meses de carência, sendo quitado totalmente entre setembro e outubro de 2023. A atual dívida cruzeirense que chega aos R$ 480 milhões pode ser diminuída em até 60% por causa da redução de juros, multa, correções monetárias e encargos advocatícios.

Como já informado anteriormente, o Cruzeiro não colocou com garantias no acordo qualquer tipo de ativos do clube, a garantia para o pagamento será sobre as cotas futuras de televisão, renda de bilheterias e patrocínio, direitos internacionais, valor recebido com o programa de sócio torcedor. O patrocínio master também entrou como garantia dos recebíveis no valor de R$ 15 milhões em 2019, com aumento nos anos seguintes, passando a R$ 20 milhões.

O empréstimo será feito através de um banco inglês, no valor de Euro, e o acordo usará um acordo cambial de congelamento da moeda para que o negócio, que já é de risco, não tenha complicações. Mesmo sendo um acordo arriscado, novos cálculos mostraram uma economia de R$ 36 milhões pelas novas taxas de juros.

“Estamos tranquilos, e o dinheiro é para pagar uma dívida que existe e toda ela feita pela gestão passada, quase R$ 300 milhões. A toda hora chega uma penhora nas contas do Cruzeiro, fica difícil trabalhar assim. Então, a saída que a gente tem é trocar um juro de 28% ao ano para um de 8,5% ao ano. Quem falar que não quer isso com carência de um ano e meio é anti-Cruzeiro”, disse o vice-presidente de futebol celeste Itair Machado em entrevista à Rádio Super.

Por: Guilherme de Carvalho Alves


Deixe seu comentário, curta e compartilhe





Mais para você