25 jan Cruzeiro rompe com a Federação Mineira de Futebol


Não é novidade para ninguém que o Cruzeiro e a Federação Mineira de Futebol não possuem uma boa relação a tempos, mas uma declaração feita pelo vice-presidente do Cruzeiro em que ele anuncia o rompimento entre clube e federação demonstrou que a relação entre ambas as partes era pior do que se imaginava.

A declaração foi dada após a decisão do Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-MG) de igualar os preços das entradas da torcida atleticana, visitante, com a do mandante do jogo, no caso o Cruzeiro. Além do rompimento, Itair Machado revelou também que estudará, juntamente com o Departamento Jurídico, uma anulação da eleição do atual presidente da Federação, Adriano Aro, eleito em outubro de 2017.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

O vice-presidente do clube celeste, afirma que todas as decisões tomadas pelo TJD-MG prejudicam a raposa, e acusam o órgão de ser imparcial e clubista. “Vestem a camisa do Atletico e não sabem nem que a bola é redonda. Não entendem de futebol”, afirma Itair Machado.

Do outro lado da moeda, o presidente da Federação Mineira de Futebol, soltou um comunicado oficial em que lamentava as declarações do Itair, afirmando que todos os pedidos do Cruzeiro na sua gestão foram atendidos. Abaixo segue a nota completa:

“Recebi com muita tristeza essas declarações do Itair. Todos os pedidos que o Cruzeiro fez na minha gestão foram atendidos, não há nada que tenham me pedido que não tenha sido atendido. Sempre tratei com a maior cordialidade e respeito o presidente Wagner, o Fabiano (de Oliveira Costa, advogado celeste), o próprio Itair, toda a diretoria do Cruzeiro. É um clube pelo qual tenho muito carinho e repeito, sei da grandeza do clube e da importância dele para a Federação Mineira de Futebol. Mas o que me parece, agora, é que se alguma expectativa do Cruzeiro seja frustrada, é uma oportunidade para os dirigentes virem a público dizer que a Federação toma lado, veste camisa, que é tudo difícil, que o Cruzeiro rompe o relacionamento. E a relação assim, de fato, é muito complicada. Me parece que, fazer isso às vésperas de um clássico é querer exercer pressão sobre a FMF. E pressão deste calibre não vamos aceitar. Se o dirigente acha que houve irregularidade no processo eleitoral, que busque as autoridades, procure a Justiça, enfim, corra atrás do que entende que é devido. Tenho a mais absoluta tranquilidade e certeza que não teve nada de errado, estou muito tranquilo, acho que a atitude dele não vai surtir efeito nenhum. O que vou fazer é continuar o bom trabalho que vem sendo feito pela Federação a favor de todos os clubes, vou continuar atendendo todos os pedidos do Cruzeiro que estiverem ao meu alcance. Mas, se o Cruzeiro acha que vou exercer pressão sobre o Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-MG), aí eles estão muito enganados. Isso não vou fazer, não é do meu feitio. O que o Cruzeiro pretendia é que a Federação se intrometesse em uma decisão do Tribunal e isso seria anti-ético, imoral e ilegal da minha parte. Esse tipo de pressão a FMF não vai ceder. Vamos continuar o bom trabalho, cuidando do nosso campeonato e fazendo o que estiver ao nosso alcance pelo bem do futebol”

Na manhã desta sexta (25), a sede da FMF amanheceu cercada de milho, e ao que tudo indica, a novela envolvendo Cruzeiro e Federação Mineira de Futebol está longe do fim.

Por: Guilherme de Carvalho Alves


Deixe seu comentário, curta e compartilhe





Mais para você