28 abr Derrota didática (Flamengo 3 x 1 Cruzeiro – Campeonato Brasileiro 1ª rodada)


Salve, guerreiros!

Foram cento e cinquenta e dois dias sem conhecer uma derrota. O Cruzeiro deixou seu torcedor mal acostumado com tanto tempo sem um único revés, entretanto, em algum momento ele iria ocorrer. Quis o destino que fosse em uma primeira rodada de Campeonato Brasileiro, para um adversário qualificado com um dos elencos mais caros e badalados no país. O que devemos fazer, ou pensar diante disso? Tirar lições importantes da derrota. Em primeiro lugar saber que o Cruzeiro não é imbatível. A seguir entender que sempre tem onze do outro lado, e não podem ser subestimados. São muitas lições, mas, vou parar na terceira, acomodar-se pensando que as vitórias virão naturalmente é o maior dos erros, isso apenas para ficar no extra-campo. O que aconteceu dentro dele falaremos a seguir.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

O jogo

Houve bastante equilíbrio na primeira etapa, inclusive no marcador. No segundo tempo o Flamengo dominou as ações e construiu sua vitória com muita naturalidade. O melhor momento celeste na produção ofensiva ocorria justamente quando da expulsão de Murilo. O empate parecia mais próximo até esse fato do que o terceiro gol rubro-negro que acabou acontecendo justamente pela vantagem numérica do time da Gávea.

Primeiro tempo

Foi um primeiro tempo tranquilo. O time carioca tentava impor seu jogo pelo fato de estar diante de seu torcedor, entretanto, esbarrava na sólida defesa celeste. O Cruzeiro bem ao seu estilo frustrava as investidas do Flamengo e buscava o erro para chegar ao gol. Deu certo! Pedro Rocha é lançado e frente a frente com César não perdoa e abre o marcador. Nem deu tempo de comemorar. Na saída de bola o urubu conta com rara falha em saída de bola do Goleiro Fábio e Bruno Henrique empata a partida.

Segundo tempo

Foi aí que o caldo desandou. O Cruzeiro parece ter ficado no vestiário sendo completamente envolvido pelo time da casa. O cartões foram se sucedendo e acabaram decidindo a partida. O Flamengo em vantagem passa a tentar administrar o resultado e o Cruzeiro que não tem nada com isso, tenta acelerar o jogo buscando o empate, mas, cede preciosos espaços. Em um desses contra-ataques Murilo infantilmente comete falta para cartão, o segundo, culminando em sua expulsão.

Era tudo que o Flamengo precisava para encontrar a oportunidade de matar o jogo, e o fez. Gabigol dá números finais ao marcador. A Raposa ainda encontra forças para buscar o ataque, e no último lance do jogo, ocorre um assustador choque de cabeças entre Dedé e Rodrigo Caio. Vamos aguardar notícias sobre a situação do zagueiro rubro-negro.

Guerreiro de ouro para Pedro Rocha pelo gol. Guerreiro de lata para Murilo. Falta infantil que gerou o segundo cartão amarelo. Entendo que na gestão do elenco, Murilo esteja na frente do demais na opinião do Mano, mas, tem falhado sistematicamente. Não parece amadurecer, mesmo tendo como companheiros uma das melhores duplas de zaga do Brasil. Se liga, rapaz!

Sobre o Fábio, tem crédito, muito crédito!

FICHA TÉCNICA

Flamengo 3 X 1 Cruzeiro

Motivo: 1ª rodada – Campeonato Brasileiro

Data: 27/04/2019 ( SáBADO)

Local: Maracanã, em Rio de Janeiro – Rio de Janeiro, Brasil

Público pagante: 29.459

Público presente: 35.016

Renda: R$ 131.159.200,00

Gols: Pedro Rocha – 39` 1T Bruno Henrique – 40` 1T Bruno Henrique – 21` 2T Gabriel Barbosa – 44` 2T

Árbitro: Anderson Daronco-RS (Fifa)

Flamengo: César, Pará, Léo Duarte, Rodrigo Caio, Renê, Cuéllar, Willian Arão, Éverton Ribeiro (Juan), De Arrascaeta (Diego), Bruno Henrique, Gabriel Barbosa

Técnico: Abel Braga

Cruzeiro: Fábio, Edilson, Murilo, Dedé, Dodô, Henrique (C), Lucas Romero (Marquinhos Gabriel), Rodriguinho (Pedro Rocha) (Fred)

Técnico: Mano Menezes

Cartões amarelos: Léo Duarte, Diego, Gabriel Barbosa (Flamengo); Edilson, Lucas Romero, Fred (Cruzeiro)

Cartão vermelho: ; Murilo (Cruzeiro)

A segunda rodada é logo ali, no feriado de 1º de maio. O Cruzeiro vai buscar a recuperação em cima do Ceará. Até lá, China Azul.

Guerreiro dos Gramados. Nossa torcida, nossa força!

Por: Álvaro Jr


Deixe seu comentário, curta e compartilhe





Mais para você