13 maio Desandou o caldo (Internacional 3 x 1 Cruzeiro – Campeonato Brasileiro 4ª rodada)


Salve, guerreiros!

Não consigo explicar o que está acontecendo com o time que até quinze dias atras não havia perdido partida alguma e sequer levado gols na Libertadores. Entretanto, posso especular e já vou adiantando que muitos dos amigos leitores irão identificar-se com o que vou escrever. O fato é que Mano Menezes conseguiu recuperar o DNA copeiro da década de noventa, que qualificou o Cruzeiro a ser aclamado pela FIFA o maior clube do século vinte. Mas o sistema de ponto corridos se tornou nosso calcanhar de Aquiles. O Cruzeiro de Mano simplesmente não engrena na competição. As vitórias em casa serão suficientes apenas para esperarmos os tão sonhados quarenta e cinco pontos. Vou além na discussão, o “desinteresse” do time no certame está causando o desinteresse do torcedor em ir ao estádio. A diretoria precisa sentar com a comissão e o elenco, pois do jeito que a coisa vai, todo o trabalho será colocado em xeque, e se na pior das hipóteses não vier o título em uma das Copas, a situação vai ficar muito feia, inclusive financeiramente falando.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

O jogo

Duas etapas distintas. O Cruzeiro até fez sombra ao Inter no primeiro tempo, mas foi um arremedo de time na segunda etapa. Foi bizonho o segundo tempo celeste. Tão ruim que este colunista que vos escreve twittou ontem quando o jogo ainda estava 1 x 1: “Sabe por que o Internacional vai ganhar o jogo, Cruzeiro? Porque o Inter está jogando para ganhar, não para “não perder”. Esse tem sido o resumo do futebol pragmático do Cruzeiro de Mano, “não perder” é a palavra de ordem.

Primeiro tempo

Esta etapa até foi divertida, disputada. Um gol para cada lado e nos parecia que Inter e Cruzeiro fariam um jogo como manda a tradição das duas equipes. O gol colorado saiu em  mais uma falha na cobertura após rebote de Fábio em cobrança de falta. O gol celeste também saiu em jogada de bola parada com Dedé escorando cobrança de Thiago Neves.

Segundo tempo

Nesta etapa o Cruzeiro foi amplamente dominado pelo Internacional. Sequer passou do meio campo em grande parte do tempo. O Saci fez o que quis com o Cruzeiro. Como diz o ditado: “A sorte acompanha os competentes”, e foi exatamente o que aconteceu. O time riograndense buscou a vitória e a bola lhe sorriu no gol em que todas as rebatidas da defesa celeste sobraram nos pés dos jogadores colorados.  Confesso que o 3 x 1 ficou até barato.

Mas já que estamos especulando, algo tem me chamado a atenção. Os amigos leitores já notaram que o time caiu demais de produção após a lesão de Marquinhos Gabriel? Esse pode ser um dos fatores para o Cruzeiro estar tão longe do gol dos adversários. Outro que faz muita falta quando não atua é Robinho. Nada adianta também ter o time completo e a falta de interesse no Brasileirão continuar evidente assim.

Não teremos Guerreiros de ouro hoje. Guerreiro de lata fica com Edilson. Este colunista o demitiria por justa causa após a expulsão deste domingo. Maldoso, violento, agrediu propositadamente um companheiro de profissão, e pior, o comportamento é recorrente. Não combina com a tradição do Cruzeiro.

FICHA TÉCNICA

Internacional 3 X 1 Cruzeiro

Motivo: 4ª rodada – Campeonato Brasileiro

Data: 12/05/2019 ( DOMINGO)

Local: Beira Rio, em Porto Alegre – Rio Grande do Sul, Brasil

Público pagante: 20.673

Público presente: 23.416

Renda: R$ 0,00

Gols: Nonato (Internacional), aos 31 min do 1ºT; Dedé (Cruzeiro), aos 35 minutos do 1ºT; Guerrero (Internacional), aos 10 min do 2ºT; Moledo (Internacional), aos 37 min do 2ºT

Árbitro: Raphael Claus – FIFA (SP)

Internacional: Marcelo Lomba, Zeca, Moledo, Victor Cuesta, Iago, Rodrigo Lindoso, Edenílson, Nonato (Guilherme Parede), D’Alessandro (Rafael Sobis), Nico López, Guerrero (Sarrafiore)

Técnico: Odair Hellmann

Cruzeiro: Fábio, Edilson, Léo, Dedé, Dodô, Lucas Silva, Lucas Romero, Jadson (David), Thiago Neves, Pedro Rocha (Rodriguinho), Fred (Sassá)

Técnico: Mano Menezes

Cartão vermelho: ; Edilson (Cruzeiro)

Começa na próxima quarta nossa busca pelo Hepta da Copa do Brasil. O Cruzeiro vai ao Rio de Janeiro enfrentar o Fluminense. Não vão achando que a Raposa terá vida fácil. Lembrem-se que há alguns dias o tricolor carioca impôs ao tricolor gaúcho uma virada história em plena Porto Alegre. Até lá, China Azul.

Guerreiro dos Gramados. Nossa torcida, nossa força!

Por: Álvaro Jr

 


Deixe seu comentário, curta e compartilhe





Mais para você