30 ago Está triste? Fica triste não! (Cruzeiro 0 x 1 Flamengo – Copa Libertadores 8ª de final)


Salve, guerreiros!

Sim! A pergunta serve para os flamenguistas. Passaram as últimas semanas acreditando na reversão da vantagem celeste obtida no Maracanã. “Vai ser  3 x 0 Flamengo”, eles diziam. “Diego Alves vai pegar três pênaltis”, e a mais engraçada, “Agora temos goleiro” (risos). E sim também! A pergunta também serve para aquela parcela de cruzeirenses que estão reclamando das circunstâncias da classificação quando deveriam estar comemorando. Libertadores é assim, aliás, mata-mata é assim. São jogos de 180 minutos e o Cruzeiro classificou-se com louvor. Fez um jogaço no Maracanã obtendo a vantagem que o permitiu controlar o segundo jogo. Levou o gol e não se afobou. Manteve a cabeça no lugar, suportou bem a pressão e saiu com a vaga. Objetivo cumprido, e agora é esperar o adversário que sai da disputa entre Boca Jrs x Libertad, partida  a ser realizada logo mais.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

O jogo

Foi uma partida muito segura da Raposa. O Flamengo não teve grandes oportunidades de gol, tanto, que o único gol da partida veio em jogada de bola parada. Com ela rolando, o meio formado pelo capitão Henrique e Lucas Silva, auxiliados por Lucas Romero que fechava a direita, não deram chance ao time rubro-negro.

Primeiro tempo

A partida começa elétrica. Ambas as equipes partem para resolver o confronto. Barcos perde um gol inacreditável na linha da pequena área. A partir daí, O Flamengo que precisava do resultado começa a dominar a posse de bola. A Raposa por sua vez, e sua solidez defensiva, não deixa o time adversário ameaçar a meta de Fábio. O 0 x 0 no final da primeira etapa demonstra o equilíbrio do confronto, pois apesar de não ser ameaçado, a Raposa também não assustava nos contra-ataques que iam sendo desperdiçados.

Segundo tempo

Nesta etapa, o jogo ficou muito legal! Duas equipes conscientes que o tempo corria e o destino do confronto estava se decidindo. O Flamengo precisa de dois gols para forçar a decisão por pênaltis, o Cruzeiro de apenas um para matar a disputa. O maior ímpeto era rubro-negro, mas, o Cruzeiro inteligente seguia esfriando o jogo.

Até que o fato que animou ocorreu. Em cobrança de tiro de canto, o Flamengo consegue abrir o marcador aos 24′ desta etapa. Com 2 x 1 no placar agregado, o time carioca se lança com tudo ao ataque. A desorganização rubro-negra contra a organização do Cruzeiro era nítida. A Raposa, a exemplo do que havia feito no Rio de Janeiro, vai perdendo seguidos contra-ataques. Foram ao menos 3 oportunidades de matar o Flamengo desperdiçadas. Abre teu olho, Cruzeiro!

Não fez falta dessa vez, assim como não fez contra o Santos pela Copa do Brasil, mas, duas derrotas em casa em mata-mata, precisam acender um sinal de alerta. Serão ainda 5 confrontos nesse formato até as duas taças, da Copa do Brasil e da Libertadores. Volto a frisar: Abre teu olho, Cruzeiro.

Mudando de pato pra ganço, que torcida é essa, amigos?! Que coisa linda! Se o Cruzeirão é cabuloso, a China Azul é cabulosa. Mineirão lotado, canto, festa, alegria, grito, estase. Mesmo que a Minas Arenas nos boicote por causa do chilique vespasiano, é TOCA DA RAPOSA 3, sim! Não há um ser humano que possa dizer que a Toca da Raposa 3 não é nossa casa. Demonstramos isso nesta quarta-feira.

Guerreiro de ouro vai para Léo! Seguro, determinado, fez uma senhora partida. Guerreiro de lata vai para Barcos, não pode perder um gol daqueles, hermano! A classificação poderia ter vindo mais cedo e mais tranquilamente.

FICHA TÉCNICA

CRUZEIRO 0 X 1 FLAMENGO

MOTIVO: Copa Libertadores 8ª de final.

LOCAL – Estádio do Mineirão, em Belo Horizonte (MG).

ÁRBITRO – Andres Cunha (URU)

CARTÕES AMARELOS – Rafinha, Thiago Neves e Raniel (Cruzeiro); Renê, Léo Duarte e Rodinei (Flamengo).

GOLS – Léo Duarte, aos 24 minutos do segundo tempo.

CRUZEIRO – Fábio; Lucas Romero (Edílson), Dedé, Léo e Egídio; Henrique, Lucas Silva, Robinho (Rafinha), Thiago Neves e Arrascaeta; Barcos (Raniel). Técnico: Mano Menezes.

FLAMENGO – Diego Alves; Rodinei, Léo Duarte, Réver e Renê (Geuvânio); Cuellar (Lincoln), Lucas Paquetá e Diego; Éverton Ribeiro, Vitinho (Henrique Dourado) e Marlos. Técnico: Maurício Barbieri.

Agora o Cruzeiro recebe o vice-líder do Brasileirão. O Internacional vem à Toca da Raposa 3 no próximo domingo as 19h. Até lá, China Azul.

Guerreiro dos Gramados. Nossa torcida, nossa força!

Por: Álvaro Jr


Deixe seu comentário, curta e compartilhe





Mais para você