16 ago “Existem melhores(…)” Discordo, Taffarel! (Cruzeiro 1 x 2 Santos – Copa do Brasil 4ª de final)


Salve, guerreiros!

Foi assustador tomar a virada do Santos na noite desta quarta-feira em pleno Mineirão! O filme da Libertadores de 2009 veio na mente. Mineirão lotado, festa da China Azul, e um detalhe que fez a diferença, aliás, dois: o gol marcado fora de casa, e o melhor goleiro do Brasil há anos. “Existem melhores”, disse Taffarel quando questionado sobre a ausência do Fábio sequer na lista que iria a Rússia. Discordo frontalmente, Taffarel! Não me lembro na história do futebol brasileiro, talvez mundial, um goleiro defender três cobranças de penalidade seguidas assim não permitindo sequer que os cinco batedores viessem à marca da cal. Talvez nosso companheiro aqui de Guerreiro dos Gramados, João Henrique Castro, historiador, consiga nos brindar com tal informação em um futuro próximo.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

O jogo

A partida foi eletrizante. O Santos veio disposto a reverter a vantagem celeste obtida na Vila Belmiro com gol de Raniel. A Raposa, bem postada não dava chances ao peixe. Foram duas falhas de marcação cruzeirense, e dois gols do visitante que parecia caminhar para estragar a festa. Precisamos lembrar também que a CBF mudou a regra do gol qualificado na Copa do Brasil, senão, estaríamos eliminados no tempo normal. Fica a lição para a Libertadores, onde a regra agora é válida.

Primeiro tempo

Esta etapa começou em alta tensão. O Santos tentava furar o bloqueio celeste, mas Lucas Silva e Henrique estavam soberanos na proteção à zaga. Thiago Neves então constrói uma belíssima jogada vindo da direita em diagonal, chuta da entrada da área sem chances para o goleiro santista. 1 x 0 e vantagem se consolidava ainda mais. A trave então resolveu jogar pelo time de Cuca pela primeira vez impedindo o segundo gol que seria de De Arrascaeta em cruzamento oriundo da direita.

O Santos logo em seguida, consegue seu primeiro gol em jogada rápida pela meia esquerda de seu ataque, e em um chute veloz, consegue vencer Fábio que estava um pouco adiantado, mas, mérito do atacante, não posso considerar falha do arqueiro de Deus. Termina empatada a primeira parte da partida.

Segundo tempo

Vem o segundo tempo e o ritmo continua bem similar ao primeiro. O Santos, tenta sem muito sucesso vencer o meio celeste. A trave então entra em campo para jogar pelo peixe outra vez, e impede o segundo tento estrelado em uma cabeçada fulminante de Dedé escorando escanteio cobrado por Robinho. A pressão era celeste e o Cruzeiro parecia estar mais perto do segundo gol.

Começava, então a partida, a tomar tons de dramaticidade quando o Santos consegue a virada com Bruno Henrique de cabeça. A partir daí, o Cruzeiro que já controlava o jogo desde os 25′, se lança ao ataque para definir no tempo normal sua classificação, porém, sem sucesso. Graças a Deus foi assim, pois o herói sem capa da noite, voou e ajudou a escrever mais uma página heroica imortal.

Fábio, Fábio, Fábio! Nunca testemunhei, ou, sequer soube da façanha alcançada pelo goleirão celeste. “Glória a Deus!” gritava o arqueiro a cada cobrança defendida. Tento não falar sobre minha fé aqui para respeitar a diversidade de religiões dos nossos leitores, mas, como cristão, assim como Fábio, não existe outra expressão que defina melhor o que ocorreu nessa noite.

A Bíblia nos ensina que quando Deus quis castigar o homem por causa do pecado, Ele disse a Adão: “Com o suor do teu rosto, comerás o teu pão.” É assim com o Fábio, ele trabalha sempre em silêncio, dedicando suor, tempo, desgaste físico. O treinadores da seleção até podem “esquecê-lo”, mas, Deus, não se esquece. Fábio faz questão de reconhecer isso. Ele fica com nosso Guerreiro de ouro de hoje.

Guerreiro de lata vai para Barcos. Contratado para resolver a seca de gols, o argentino marcou apenas uma vez desde que chegou. Até nem tem feito más partidas, mas, está devendo para o que foi trazido às pressas. Vai ganhar a sombra do Fred em pouco tempo, pois o atacante já está em fase de transição para os gramados.

CRUZEIRO 1 (3) X 2 (0) SANTOS
Motivo: 2º jogo das quartas de final da Copa do Brasil
Data: 15/08/2018 (quarta-feira)
Local: Mineirão, em Belo Horizonte-MG
Árbitro: Rodolpho Toski Marques-PR (Fifa)
Público: 43.464 pagantes / 49.513 presentes
Renda: R$ 1.432.225,00
Gols: Thiago Neves, aos 12 min., e Gabriel Barbosa, aos 42 min. do 1º tempo; Bruno Henrique, aos 38 min. do 2º tempo
Cruzeiro: Fábio; Edilson, Léo, Dedé e Egídio; Henrique, Lucas Silva, Robinho (Rafinha), Thiago Neves e De Arrascaerta (David); Hernán Barcos (Raniel)
Técnico: Mano Menezes
Santos: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Luiz Felipe (Gustavo Henrique) e Dodô; Renato (Daniel Guedes), Diego Pituca e Arthur Gomes (Jean Mota); Rodrygo, Gabriel Barbosa e Bruno Henrique
Técnico: Cuca
Cartões amarelos: Gustavo Henrique, Bruno Henrique, Gabriel Santos e Dodô (Santos); Edilson (Cruzeiro)
Cartão vermelho: Vladimir (Santos)

Agora é tentar somar pontos no Brasileirão. Estamos ficando para trás no certame nacional. O desafio da vez é o Bahia que vem ao Mineirão visitar a Raposa. É daqueles jogos para acabar com a fase ruim no pós-copa. Até lá, China Azul.

Guerreiro dos Gramados. Nossa torcida, nossa força!

Por: Álvaro Jr

 


Deixe seu comentário, curta e compartilhe





Mais para você