28 jul Furacão passeia no Mineirão (Cruzeiro 0x2 Athlético-PR – Campeonato Brasileiro 12ª rodada)


Salve, guerreiros!

No exato momento em que foram divulgadas as escalações e soubemos que o time reserva do Cruzeiro enfrentaria os titulares do Athlético Paranaense, dava pra imaginar que não seria uma noite fácil para o Maior de Minas. Entretanto, o que se viu em campo foi um pouco pior do que esperávamos. O placar de 2 a 0 é uma derrota esportivamente comum, nenhuma humilhação. Mas a forma como o jogo se desenvolveu, principalmente nossa dificuldade em incomodar o goleiro adversário, foi um baque na confiança dos pouco mais de 20 mil presentes ao Mineirão, que saíram do estádio com uma sensação melancólica. Por mais que seja triste constatar, o time de Curitiba foi amplamente superior e conquistou a vitória de modo incontestável.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

O jogo

Apesar de jogar em casa, o Cruzeiro iniciou a partida sendo pressionado no campo de defesa. O Athletico girava a bola tentando criar ocasiões e quando o Cruzeiro retomava, não conseguia trocar bons passes, perdendo a posse logo em seguida. A primeira vez que o Cruzeiro conseguiu passar do meio campo com a bola nos pés foi aos 9 minutos e na sequência da jogada, David chutou de longe para defesa fácil do goleiro Santos. Foi a nossa única finalização no alvo durante toda a partida. O Furacão dominava e até ameaçava em chutes de longe, mas o Cruzeiro mantinha o jogo relativamente controlado.

Até os 30 minutos, quando Weverton cometeu pênalti em Nikão. Jonathan foi pra bola e cobrou no meio do gol, vencendo Rafael e abrindo o marcador. David, Maurício e Fred, os três jogadores mais ofensivos do Cruzeiro, até tentavam se aproximar para criar alguma coisa, mas falhávamos muito no último passe. O apoio dos laterais também era pouco efetivo, com os cruzamentos parando sempre na atuação precisa dos zagueiros do visitante.

Segundo tempo

A tônica da partida não mudou na etapa complementar. O time paranaense conseguia criar oportunidades para finalização e Rafael se desdobrava para manter o placar em 1 a 0. O atacante Rony, dispensado do Cruzeiro por Itair Machado no ano passado, causava muitos problemas para nossa defesa e inclusive acertou um chutaço no travessão. Nosso ataque seguia errando na tomada de decisão, especialmente no passe final. Sempre faltava um capricho maior no cruzamento, no passe ou no domínio. O lateral Jonathan tocou com o braço na bola dentro da área em lance que a arbitragem poderia muito bem ter marcado o pênalti, mas nem a sorte, nem o VAR estavam ao nosso lado. Mano até tenta mexer no time, trocando Ariel, David e Maurício por Sassá e os jovens Jadson Silva e Wellinton, que fizeram suas estreias como profissionais. Mas sem mudar a história do jogo.

O golpe de misericórdia vem aos 32′ do segundo tempo, quando Bruno Guimarães tabela com Bruno Nazário, depois com Marcelo Cirino e acaba saindo na cara de Rafael. Desta vez não deu pro goleiro e a finalização no canto esquerdo coloca o 2 a 0 no marcador. Os garotos do Cruzeiro não desistem, seguem correndo e lutando, mas boa vontade é muito pouco frente a um adversário melhor organizado. A parte final do jogo acabou reservando apenas vaias ao centroavante Fred, que chegou ao décimo terceiro jogo seguido sem balançar as redes e novamente teve atuação pouco inspirada. A derrota por 2 a 0 nos mantém na parte de baixo da tabela, com apenas 10 pontos ganhos após 12 rodadas. Dependendo dos resultados de domingo, o Cruzeiro pode voltar para a zona de rebaixamento.

FICHA TÉCNICA

Cruzeiro 0x2 Athletico-PR

Motivo: 12ª rodada do Campeonato Brasileiro

Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

Data: 27 de julho de 2019 (sábado)

Horário: às 19h (de Brasília)

Árbitro: Rodrigo Carvalhaes de Miranda (RJ)

Assistentes: Luiz Claudio Regazone (RJ) e Carlos Henrique Alves de Lima Filho (RJ)

VAR: Carlos Eduardo Nunes Braga (RJ)

Cartão amarelo: Fred (Cruzeiro)

Gols: Jonathan – 30’/1ºT (0-1); Bruno Guimarães – 31’/2ºT (0-2)

Cruzeiro

Rafael; Weverton, Fabrício Bruno, Cacá e Dodô; Éderson, Ariel Cabral (Jadson Silva), Jadson e Maurício (Welinton); David (Sassá) e Fred. Técnico: Mano Menezes.

Athletico-PR

Santos; Jonathan, Pedro Henrique, Léo Pereira e Márcio Azevedo (Abner Vinícius); Wellington, Bruno Guimarães, Nikão e Bruno Nazário (Thonny Anderson); Rony e Marco Ruben (Marcelo Cirino). Técnico: Tiago Nunes

A Raposa volta a campo na terça-feira (30/03) para encarar o River Plate, no jogo de volta das oitavas de final da Copa Libertadores. Como empatamos na Argentina por 0x0, precisamos da vitória para a classificação para as quartas. Novo empate sem gols leva a definição para os pênaltis e qualquer empate com gols favorece os argentinos. Que tenhamos na terça uma jornada bem mais feliz, inspirada e vitoriosa. Até lá, China Azul.

Guerreiro dos Gramados. Nossa torcida, nossa força!

Por: Emerson Araujo 


Deixe seu comentário, curta e compartilhe





Mais para você