23 abr Já deu! (Fluminense 1 x 0 Cruzeiro – Campeonato Brasileiro – 2ª rodada)


Salve, guerreiros!

Estou atordoado, nem sei por onde começar. São tantos motivos para criticar que se fosse escrever sobre todos, os amigos leitores não teriam paciência para chegar ao fim da coluna. Vou tentar fazer um resumo do sentimento que tenho para perceber se há algumas pessoas que identificam-se comigo. O Cruzeiro se tornou um arremedo de time nas mãos do Mano Meneses e seu Manobol. Um time incapaz de criar jogadas que sequer ameacem seus adversários. Foram setenta e cinco minutos com um jogador a mais, mesmo assim, a defesa do fraco Fluminense não passou um susto sequer. O tão celebrado elenco no início do ano não consegue render nas mãos de um homem que tem como filosofia o “não levar gols”. O ditado já diz: A melhor defesa é o ataque. Mano parece não saber disso. Jogou de forma covarde contra o Grêmio no Mineirão e tomou ferro. Ontem só saiu com o time depois do caldo entornado, e mesmo assim, fez escolhas muito equivocadas nas substituições. O fato é que o Cruzeiro de Mano Menezes ainda não venceu nenhum adversário importante esse ano. “Ah, Álvaro! Mas e o galo?” Muitos torcedores celestes ainda super valorizam nosso pequeno rival. Vencê-los não é mais que uma obrigação.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

O jogo

O Manobol é tão burocrático que o Fluminense não teve nenhum trabalho na defesa durante os primeiros quarenta e cinco minutos. Fora uma única chance com Mancuello e alguns arremates de fora da área, não houve nada de especial nesta etapa. Com o gol logo no início do segundo tempo, a Raposa precisou sair, mas está tão desacostumada a atacar, que não sabe o que fazer. O número excessivo de bolas elevadas na área tricolor demonstra a falta de repertório do time celeste. Não há uma troca efetiva de passes, não há uma tabela, não há jogadas ensaiadas, me lembra muito a última passagem do Luxemburgo por aqui, antes do próprio Mano assumir o time. Convenhamos, Mano foi importante em livrar o time da série b, foi importante na conquista de Copa do Brasil, mas isso, o faz insistir na teimosia de montar o Cruzeiro para não perder, não explorando o potencial que o elenco tem para vencer seus adversários na bola.

Primeiro tempo

Essa etapa da partida foi marcada pela expulsão do jogador Gilberto ao tentar cortar um contra-ataque celeste, levantou em demasia o pé atingindo a cabeça de Sassá. Fato ocorrido ao quinze minutos de jogo deu ao Cruzeiro a vantagem numérica, mas, ainda assim o futebol pobre, sem repertório não demonstrou vantagem alguma. Os centros na área e os tiros de fora foram as únicas coisas produzidas pelo time de Mano nessa etapa da partida.

Segundo tempo

O gol logo aos três minutos foi um balde de água fria nas pretensões celestes de buscar a vitória. David que entrara no intervalo teria finalmente sua chance, mas, suas características de velocista não puderam ser utilizadas pois o Fluminense trancou-se na defesa, o que é absolutamente natural para um time em desvantagem numérica que consegue seu gol. Isso não é normal em um time que entra em campo em 0 x 0 e prepõe-se a jogar por uma bola. A Raposa provou do seu próprio veneno. O pior é que Mano ainda exalta o feito do adversário dizendo que futebol é assim. Não, Mano Menezes! Futebol não é assim, ao menos o futebol celeste não deveria ser. Não é nossa tradição, nem tampouco nossas características. Menos ainda se considerarmos o elenco que temos, apesar de algumas baixas, como a do Fred, por exemplo.

Lucas Silva é um dos poucos a demonstrar bom futebol e acertar quase 100% dos passes sendo o responsável pelos melhores momentos de transição da defesa para o ataque nas duas derrotas do brasileiro, e qual a atitude do Mano? Sacá-lo de campo. Enquanto isso, Robinho desde o mineiro não vem jogando nada. Thiago Neves também anda morrendo após os quinze minutos das etapas finais, sem falar de Henrique que tem errado passes em demasia. Os três citados jogaram os noventa minutos ontem, enquanto Lucas, Romero e Mancuello que foram bem melhor, foram substituídos. A sensação que passa é que com Mano é proibido jogar bem. Entretanto, jogar abaixo do nível está liberado.

Para terminar, lembro-me de uma entrevista do Mano no “Bola Da Vez” da ESPN ao assumir o time após a queda de Luxa em sua última passagem, o treinador afirmou que conseguiu uma mudança de postura do time, pois estava “mal treinado”. Não quero te enganar não, Mano, mas agora é você que precisa rever seus conceitos. O Cruzeiro está mal treinado demais, os motivos que demonstram, apontei acima. Robinho fica com nosso Guerreiro de lata de hoje. Lucas Silva mantém o posto da semana passada e fica com nosso Guerreiro de Ouro.

FICHA TÉCNICA
FLUMINENSE 1 X 0 CRUZEIRO

Local: Maracanã, Rio de Janeiro
Data-Hora: 22/4/2018, às 16h (de Brasília)
Árbitro: Flavio Rodrigues de Souza (SP)
Auxiliares: Alex Ang Ribeiro e Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo (SP/Fifa)
Público e renda: 8.671 pagantes/10.16 presentes/R$ 263.145,00
Cartões amarelos: Renato Chaves, Pedro e Julio Cesar (FLU); Dedé e
Arrascaeta (CRU)
Cartões vermelhos: Gilberto (FLU)
Gols: Pedro, aos 3’/2ºT (1-0);

FLUMINENSE: Julio Cesar, Renato Chaves, Gum e Frazan; Gilberto,
Richard, Jadson, Sornoza (Luan Peres, 47’/2ºT) e Ayrton Lucas; Marcos
Júnior (Pablo Dyego, 15’/2ºT) e Pedro (Douglas, 34’/2ºT).

Técnico: Abel Braga

Cruzeiro: Fábio, Romero (Rafinha, 27’/2ºT), Dedé, Léo e Marcelo
Hermes; Lucas Silva (David, intervalo), Henrique, Mancuello
(Arrascaeta,16 ‘/2ºT), Robinho e Thiago Neves; Sassá.

Técnico: Mano Menezes

Meu medo, amigos leitores é um mal resultado na próxima quinta diante da La U acabar com nossas pretensões para a reconquista da América. Claro que não haverá até lá troca no comando técnico no Cruzeiro, mesmo porque, não há nomes disponíveis no mercado. Parece que vamos ter que fazer nossa parte enquanto torcedores, mesmo estando insatisfeitos com o Manobol, teremos que carregar o Cruzeiro de novo. Até lá, China Azul.

Guerreiro dos Gramados. Nossa torcida, nossa força!

Por: Álvaro Jr


Deixe seu comentário, curta e compartilhe





Mais para você