01 ago Jogos Históricos: Nas mãos de André e nos pés de Geovani (Cruzeiro 2×0 Santos – Semifinal Copa do Brasil – 2000)


O Cruzeiro começa a definir nesta noite o seu futuro na Copa do Brasil. Atual campeão, o time celeste vai ao litoral paulista para enfrentar o Santos pela primeira partida das quartas de final do torneio, marcada para 19h30. O segundo embate entre as duas equipes, que definirá o classificado às semifinais, será no dia 15 de agosto, no Mineirão.

O confronto, entretanto, não ocorre pela primeira vez em edições da Copa do Brasil. Em 2000, quando o Cruzeiro sagrou-se tricampeão, a raposa eliminou o Santos nas semifinais com uma vitória e um empate.
No primeiro jogo, disputado no Mineirão, a vitória de 2×0 deu segurança à equipe comandada por Marco Aurélio para garantir a vaga na final na semana seguinte, na Vila Belmiro. Relembre!

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

O Jogo

Apesar da vitória, o Cruzeiro não fez bom jogo. O destaque da raposa na partida, inclusive, ficou por conta do goleiro André que impediu, por quatro vezes, – em chances claras – o gol paulista.

Porém, apesar das dificuldades, o Cruzeiro foi eficiente e contava com as investidas de Geovani, à época um garoto, para levar perigo à meta do Santos.

E foi com ele, Geovani, que o Cruzeiro abriu o placar. Aos 29 minutos do primeiro tempo, o lateral Alonso penetrou em velocidade na área paulista e foi derrubado pelo zagueiro André Luiz. Pênalti claro, assinalado e convertido com eficiência por Geovani, colocando o Cruzeiro à frente no placar.

A nota triste do jogo foi justamente após o primeiro gol cruzeirense. Um torcedor que estava na arquibancada superior do Mineirão caiu na geral ao comemorar o tento de Geovani e morreu enquanto era socorrido para o hospital.
Voltando ao jogo, após o gol celeste, o Santos pressionou e André assumiu o protagonismo do jogo com belas defesas. Vez ou outra o Cruzeiro conseguia assustar a defesa do Santos, mas o domínio era dos visitantes.

A situação perdurou até os 45 minutos do segundo tempo. Em meio às vaias pelo futebol apresentado, o volante celeste Donizete Oliveira arrancou com a bola do meio campo e, da intermediária, chutou forte. A bola ainda desviou na zaga santista antes de entrar para o gol. 2×0 e uma explosão de alegria no Mineirão ao fim do jogo.

Com o resultado, o Cruzeiro foi para a Vila Belmiro na semana seguinte podendo até perder para os donos da casa. Mas a raposa empatou por 2×2 e disputou a final contra o São Paulo.

O final todos já sabem: Cruzeiro tricampeão da Copa do Brasil e Geovani marcado com o símbolo da conquista.


Deixe seu comentário, curta e compartilhe





Mais para você