30 out Leandro Guerreiro era o cara. Concorda?


Leandro Guerreiro era o cara. Concorda? - Cruzeiro Esporte Clube - Foto: VipComm

Contra o Criciúma, com Henrique e Lucas Silva na volância, a defesa celeste ficou desprotegida. A razão é simples: nenhum dos dois é primeiro volante. Fazer a proteção imediata da zaga não é a deles.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Teria sido melhor, então, a escalação do contestado Leandro Guerreiro para substituir Nilton? Afinal, esse, sim, é o jogador no elenco que exerce a mesma função do ex-vascaíno.

Friamente analisando e respondendo, sim: Leandro Guerreiro era a melhor opção.

Até acho que poderíamos ter passado raiva com ele, se irritado com os passes errados que constantemente ele dá, mas é preciso ser honesto e reconhecer que o drama que vivemos no jogo – refiro-me à liberdade de criação do Criciúma, e não à virada relâmpago – o Guerreiro evitaria.

Evitaria porque, por consequência da função que desempenha desde sempre na carreira, ele ocuparia o buraco entre a zaga e o meio. Foi nesse espaço que os catarinenses deitaram e rolaram. Foi dominando a zona onde Niltão reina soberano que eles viraram o jogo.

Acho que Marcelo Oliveira não optou pela entrada de Leandro Guerreiro no lugar de Nilton porque imaginava um Criciúma retrancado durante 90 minutos. Preferiu, então, evitar o desgaste com a torcida de escalá-lo a melhor se proteger no jogo.

Deve ter se arrependido. E, tomara, aprendido a lição. Pois, no elenco, não é Henrique o substituto de Nilton. Nem Souza.

Esse cara é o Guerreiro. Fazer o quê?


Deixe seu comentário, curta e compartilhe





Mais para você