14 nov Meus sinceros agradecimentos Cruzeiro Esporte Clube


Meus sinceros agradecimentos Cruzeiro Esporte Clube

Enfim, o dia chegou. Podemos soltar, sem medo algum, o grito de Tricampeões. Aposto que muitos, assim como eu, estão sem voz e bastante cansados. Mas também sei que, assim como eu, a maioria está se lixando para isso; nossa felicidade se sobrepõe a cada sinal contrário vindo do nosso corpo. Para externar a minha alegria, queria deixar algumas palavras de agradecimento.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Primeiramente, obrigado Gilvan de Pinho Tavares e Alexandre Mattos. Obrigado por esse planejamento, que foi muito criticado no seu princípio, tanto por torcedores, como por jornalistas. Obrigado por ter certeza das suas convicções, e não dar ouvidos à torcida (me incluo nessa), quando trouxe o nosso treinador. Obrigado por cada contratação pontual, por cada bom investimento, por cada ‘chapéu’ nos adversários. Tudo valeu a pena.

Também te agradeço, Marcelo Oliveira. Quando surgiu a especulação de que você seria o nosso comandante, houveram até manifestações na frente da Toca II. Torcedores usavam narizes de palhaço, como se tivessem sendo feito de trouxas, e gritavam com todas as letras: “Marcelo Oliveira NÃO”. Admiro teu caráter, tua postura, tua coragem; você foi em frente com a maré contrária, e nos deu um presente gigante. Administrou um grupo com muitos jogadores de nome, de alto nível, e trouxe o time até o final do ano sem NENHUMA briga interna. Peço desculpas, sinceramente, e te agradeço por esse momento.

E aos jogadores, o que dizer? Fábio, obrigado por mais uma temporada sensacional, por mais defesas espetaculares e pela sua liderança no grupo; a Seleção não te merece. Ceará, Mayke e Egídio, obrigado por cada assistência e por cada desarme. Dedé e Bruno Rodrigo: que dupla mítica! Obrigado pelas grandes atuações, melhor dupla de zaga do Brasil! Nilton e Lucas Silva, a vocês que se encaixaram tão bem, e se completam em características como volantes, o meu obrigado. Agradeço a Ricardo Goulart, Willian, Júlio Baptista, porque foram muito importantes nessa conquista, com gols, assistências e por se encaixarem também nessa camisa. Éverton Ribeiro, que temporada foi essa, garoto? Obrigado mesmo, melhor jogador da temporada do futebol brasileiro! Obrigado pelos vários golaços, pelos vários dribles e pelos momentos memoráveis. Falando mesmo em momentos memoráveis, o que dizer de Borges e Dagoberto? O primeiro, fez com que nos emocionássemos com a sua comemoração no quarto gol do jogo contra o Criciúma; o segundo, nos fez sorrir ao extremo com sua versão de Nós Somos Loucos. Quem se esquecerá do: “EU NÃO SEI A MÚSICA, MAS EU TÔ CANTANDO”? Obrigado, também, a cada um dos reservas, que sempre entraram bem e sempre cumpriram o seu papel quando foram necessários. Meus sinceros agradecimentos, GUERREIROS DOS GRAMADOS!

Meu último agradecimento é a quem também foi papel importantíssimo, mas não entrou em campo. Obrigado, China Azul! Obrigado por ter feito festa em cada jogo no Gigante da Pampulha. Obrigado por fechar com o time, nas vitórias e nas doídas derrotas. Obrigado por apoiar o nosso programa de Sócio Torcedor, que fez com que o time pudesse brigar financeiramente com outras equipes de maior arrecadação no futebol brasileiro. Muito obrigado pelas novas e marcantes músicas. Obrigado, Guerreiros! Vocês representaram, e muito bem, milhões de torcedores do mundo inteiro na voz. Eram 30, 40, 50 mil pessoas no Mineirão, mas parecia que cada um dos mais de 8 milhões estava lá.

Somos Tri! Que usemos esse restante de ano para comemorar, porque ano que vem tem mais.

Saudações celestes!


Deixe seu comentário, curta e compartilhe





Mais para você