05 fev Minas Arena cobra dívida milionária do Cruzeiro


Na tarde desta terça-feira (05) a Minas Arena, empresa que administra o Mineirão, entrou com uma ação judicial para que ocorra o bloqueio de cerca de R$12 milhões nas contas do Cruzeiro referentes à jogos disputados entre 2016 e 2017, quando o clube ainda era presidido por Gilvan de Pinho Tavares.

Cruzeiro x Minas Arena

Cruzeiro (Divulgação) Cruzeiro (Divulgação)

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

A “briga” entre Cruzeiro e Minas Arena já se estende por um longo tempo, e o problema judicial se iniciou em Março de 2016, quando a empresa cobrava um valor de R$9 milhões referente a partidas entre 2013 e 2015, hoje o valor cobrado pela mesma é de R$12,085 milhões. A antiga gestão justifica o não pagamento pela isenção da taxa de operação dada ao Atlético Mineiro na final da Libertadores de 2013 contra o Olímpia-PAR, entendendo que pelo contrato de fidelidade, o Cruzeiro teria o mesmo direito.

Em nota oficial, o clube estrelado afirmou que tomou conhecimento apenas pela imprensa, e que quando for ciente de todos os detalhes o clube voltará a se manifestar, enquanto a Minas Arena informa que o Cruzeiro já tinha conhecimento do ajuizamento.

“Com relação a judicialização da cobrança no último dia 1º, o Mineirão informa que o valor se refere ao reembolso de 70% dos custos operacionais das partidas referentes aos anos de 2016 e 2017, tais como segurança, limpeza, brigadistas, dentre outros. Já estavam ajuizadas as dívidas referentes aos anos de 2013, 2014 e 2015. Reuniões periódicas acontecem com o clube para tratar esta questão. A diretoria do Cruzeiro já estava ciente deste ajuizamento, pagou parte das despesas do ano de 2018 e conversa com a administração do Mineirão sobre a quitação de 70% dos custos relativos ao ano passado, conforme previsto em contrato. O Mineirão espera que a questão seja solucionada o mais breve possível e se orgulha de oferecer uma das operações mais eficientes do país, proporcionando excelentes resultados financeiros aos clubes que aqui jogam”. Afirma a empresa responsável pelo Mineirão.

Deixe seu comentário, curta e compartilhe





Mais para você