16 jan O Camisa 10 do Cruzeiro


Desde que Alex, o Talento Azul, deixou o Cruzeiro rum0 a Turquia em 2004, a camisa 10 do Cruzeiro ainda não pertenceu a um novo grande ídolo. De forma geral, a camisa foi até bem representada, o problema é que mesmo os bons jogadores que a usaram acabaram de alguma forma não se firmando no hall de grandes ídolos do clube. Hoje, vamos destrinchar os principais camisas 10 do Cruzeiro pós Alex.

Kelly

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Kelly teve uma curta passagem pelo Cruzeiro. Ao longo do ano de 2005, o armador disputou 61 jogos e marcou 22 gols, porém não ajudou o clube a conquistar títulos. Apesar da boa passagem, não deixou saudades.

Kelly teve boa passagem pelo Cruzeiro em 2005: marcou 22 gols em 61 apresentações - Foto: Paulo Figueiras/Estado de Minas Kelly teve boa passagem pelo Cruzeiro em 2005: marcou 22 gols em 61 apresentações – Foto: Paulo Figueiras/Estado de Minas

Wagner

Ótimo assistente, Wagner foi o camisa 10 mais longevo do século XXI, tendo atuado com a camisa do Cruzeiro em mais de 200 jogos(nem todos com a 10). Foi o 10 do clube na conquista dos campeonatos mineiros de 2006, 2008, 2009 e no vice da Libertadores de 2009. Apesar de ter bons números pelo clube, Wagner acabou deixando o Cruzeiro com a imagem bem desgastada, principalmente por conta do vice-campeonato continental e a suposta briga nos bastidores, onde o meia estaria envolvido. Alguns anos pós a sua saída do clube, fez alguns elogios à torcida do Atlético, o que aumentou ainda mais a antipatia de parte dos cruzeirenses por ele.

Wagner foi o camisa 10 mais longevo do século XXI - Foto: Cruzeiro/Divulgação Wagner foi o camisa 10 mais longevo do século XXI – Foto: Cruzeiro/Divulgação

Gilberto

Gilberto teve 2 passagens pelo Cruzeiro, sendo a primeira nos anos 90 e a segunda entre 2009 e 2011. Na sua segunda passagem acabou usando a 10 em diversos jogos, incluindo na Libertadores de 2010. Após a chegada de Montillo, o argentino se tornou o 10 e Gilberto passou a atuar com outros números. Apesar de não ter feito parte de nenhuma grande conquista, é um jogador querido pela torcida. Em 2010 se tornou o 10º jogador do Cruzeiro a ser convocado para uma Copa do Mundo.

Em 2010 Gilberto se tornou o 10º jogador do Cruzeiro a ser convocado para uma Copa do Mundo. - Foto: Cruzeiro/Divulgação Em 2010 Gilberto se tornou o 10º jogador do Cruzeiro a ser convocado para uma Copa do Mundo. – Foto: Cruzeiro/Divulgação

Montillo

Após ganhar destaque na La U, Montillo se transferiu para o Cruzeiro no meio de 2010 e foi amor à primeira vista. O meia argentino foi o craque do time vice-campeão brasileiro de 2010 e extremamente importante na luta contra o rebaixamento em 2011. Tentou cavar sua saída para o Corinthians em 2012, porém não obteve êxito. Fez um 2012 mediano e em janeiro de 2013 foi vendido ao Santos em um negócio milionário. Por conta de ter tentado sair 2x do clube, acabou deixando um sentimento misto na torcida. Uns amam, outros odeiam.

O meia argentino foi o craque do time vice-campeão brasileiro de 2010 - Foto: WASHINGTON ALVES/VIPCOMM O meia argentino foi o craque do time vice-campeão brasileiro de 2010 – Foto: WASHINGTON ALVES/VIPCOMM

Diego Souza

O eterno carrasco do Cruzeiro teve uma passagem completamente esquecível na Toca da Raposa. Disputou míseros 25 jogos e foi negociado após 6 meses no clube. Atuou pelo Cruzeiro entre janeiro e julho de 2013, sempre com a camisa 10.

Foto: WASHINGTON ALVES/VIPCOMM Foto: WASHINGTON ALVES/VIPCOMM

Júlio Baptista

Após a saída de Diego Souza, Cruzeiro investiu pesado na contratação de Júlio Baptista. O jogador vinha em baixa na Europa e veio para a Toca da Raposa pra ganhar o salário mais alto do clube. Foi apresentado com toda pompa no Mineirão, saindo dentro de um carro forte, porém nunca cumpriu as expectativas. Mesmo portando a camisa 10, acabou sendo coadjuvante de ER e Ricardo Goulart na conquista do bicampeonato brasileiro. Continuou no clube no ano seguinte, porém como camisa 19. Deixou o clube no final de 2015 e também não deixou saudades.

Cruzeiro investiu pesado na contratação de Júlio Baptista - Foto: Alex de Jesus / Agência Estado Cruzeiro investiu pesado na contratação de Júlio Baptista – Foto: Alex de Jesus / Agência Estado

De Arrascaeta

Após fazer parte do histórico elenco do modesto Defensor, semifinalista da Libertadores 2014, De Arrascaeta desembarcou na Toca da Raposa em 2015 como novo camisa 10 do Cruzeiro. Contestado no começo, acabou evoluindo muito e começou a brilhar em 2016. No comando de Paulo Bento, elevou muito as suas atuações e assim seguiu após Mano Menezes assumir. Foi um dos destaques do time bicampeão da Copa do Brasil em 2017 e 2018, sendo convocado para a Copa do Mundo na Rússia e se firmando como um dos grandes camisas 10 da história do clube. Em janeiro de 2019, trocou toda sua idolatria no Cruzeiro pelas cifras milionárias do Flamengo, e acabou deixando o clube pela porta dos fundos. Se tornou uma persona non grata no clube.

Contestado no começo, acabou evoluindo muito e começou a brilhar em 2016. Contestado no começo, acabou evoluindo muito e começou a brilhar em 2016.

Com a saída de De Arrascaeta para o Flamengo, a camisa 10 fica livre e deverá ter um novo dono em breve. Do atual elenco, Robinho e Thiago Neves são possíveis candidatos para assumir o número deixado pelo uruguaio que também pode ser passado para um dos novos contratados. O que todos esperamos é que, assim como boa parte dos antecessores, o novo camisa 10 prove seu valor dentro de campo e honre esse número que pertenceu a tantos jogadores históricos do clube.

Por: João Victor Pena


Deixe seu comentário, curta e compartilhe





Mais para você