08 fev Os bastidores da reunião que está movimentando a Toca


Como já informado antes pela conta oficial do Guerreiro dos Gramados no Twitter, na próxima segunda-feira (11) ocorrerá uma grande reunião entre dirigentes e conselheiros do clube com o intuito de informar aos conselheiros qual a real situação financeiro do clube e apontar os caminhos a serem seguidos.

A ideia inicial, é obter um empréstimo de R$300 milhões com um fundo de investimento estrangeiro à fim de quitar as dívidas atuais que o Cruzeiro possui, já que os juros são variados, tornando o pagamento é dificultado. Com um único empréstimo, a raposa passaria a ter apenas um credor e um juros, facilitando o pagamento. Atualmente o clube possui cerca de 17 credores das dívidas (Agentes, clubes, jogadores, bancos, empresário, FIFA.. etc).

Como funcionaria o empréstimo

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Segundo informações obtidas pelo jornal Superesportes, o Cruzeiro informou aos conselheiros que o juros anual do desejado empréstimo de R$300 milhões será de 9%, e o clube terá um ano e meio de carência após a assinatura do contrato para começar a pagá-lo, e este seria parcelado em sete prestações semestrais, algo em torno de R$42 milhões a cada seis meses.

A cúpula celeste garantiu ainda, que diferentemente do que era especulado, nenhum patrimônio do clube será usado como garantia de pagamento, sendo assim, caberia ao credor o direito de receber receitas proporcionadas por cotas de televisão, bilheteria, sócio-torcedor, contratos de patrocínio e venda de jogadores.

Para que o processo de empréstimo seja concluído, ocorrerá uma votação no Conselho do clube em que se decidirá a aprovação ou não do mesmo. Tal votação não é obrigatório, mas o Presidente do Cruzeiro, Wagner Pires de Sá, optou por conduzir o processo desta maneira. Para que o empréstimo seja consolidado, é necessário que uma maioria simples aprove o empréstimo.

As prestações

Levando em consideração que o contrato de empréstimo seja assinado ainda em março, a primeira parcela semestral seria paga somente em Setembro de 2020, com o fim do período de carência. Após essa data, seriam paga mais 5 parcelas entre março de 2021 e setembro de 2023.

Por: Guilherme de Carvalho Alves


Deixe seu comentário, curta e compartilhe





Mais para você