02 jul Pré-jogo: Grêmio X Cruzeiro (3 jogos para a América! 5 jogos para o Mundo!)


Salve nação celeste! Está chegando a hora da guerra do Olímpico. É amigo. Você não leu errado. É guerra mesmo! A partida entre Cruzeiro e Grêmio nesta quinta-feira não pode receber outro nome.

Falo guerra aqui sem querer de forma alguma defender qualquer forma de violência que possa ocorrer no conflito. Os ônibus da torcida gremista apedrejados na partida de ida mostram o quanto idiotas podem ser alguns torcedores que não conseguem entender que o adversário é um ser humano com os mesmos direitos, sonhos e vontades que ele. Torço para não haver uma represália da torcida gaúcha em Porto Alegre, afinal dificilmente serão os marginais que agiram aqui os apedrejados de lá.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Mas indo ao que interessa, o clima do jogo entre Cruzeiro e Grêmio é tenso. Declarações polêmicas de Kléber por um lado, e de Paulo Autuori, Souza e Tcheco pelooutro. O episódio de injúria racial de Maxi Lopes contra Ramires. Os 3 a 1 de vantagem celeste. Tudo isso compõe um combinado de ingredientes que poderão fazer o clima esquentar em campo a qualquer momento. Imagina, por exemplo, se o Cruzeiro marca um gol no início e começa a tocar a bola. A tendência é que o Grêmio perca a cabeça na hora.

Por isso mesmo acho que o Cruzeiro deve ter como exemplo o comportamento do zagueiro Willian do Corinthians na partida contra o Internacional na decisão da Copa do Brasil. Provocado por D’Alessandro, o zagueiro corinthiano evitou a briga e deixou o argentino ser expulso sozinho. É bem provável que se o Cruzeiro conseguir um gol o Grêmio, visto o temperamento de seus atletas, parta para a provocação e para a violência. Aí será fundamental que nosso time tenha maturidade, como aconteceu contra o São Paulo, deixe o juiz pôr os agressores para fora e siga sem nenhum expulso para a final contra o Estudiantes.

O Cruzeiro deve estar atento na partida desde o primeiro apito do juiz. A vantagem é boa, mas um gol do Grêmio despertará o Olímpico e colocará uma tensão na partida que não é necessária. Com a volta de Ramires, o Cruzeiro ganha força no contra-ataque e deve aproveitar cada chance de gol para matar o Grêmio o mais rápido possível. Fazendo assim, é só esperar o apito do juiz, comemorar a vaga na final e se preparar para a festa em mais um desembarque em Belo Horizonte quando voltarem da partida.

Grêmio: Victor; Thiego, Léo,Réver e Fabio Santos; Túlio, Adilson,Tcheco e Souza;Maxi Lópeze Herrera. Téc: Paulo Autori.

Fábio;Jonathan,Thiago Heleno, Leonardo Silvae Gerson Magrão;Henrique (Fabinho),Marquinhos Paraná, Ramirese Wagner; Kléber e Wellington Paulista (Thiago Ribeiro). Téc: Adílson Batista.

Curiosidade da partida: Cruzeiro e Grêmio se enfrentaram duas vezes no Olímpico pela Copa Libertadores com uma vitória para cada aula. O Cruzeiro venceu o confronto pela primeira fase da Libertadores de 1997 por 1 a 0 e perdeu a partida das quartas-de-final por 2 a 1. No entanto, assim como nesta quinta-feira, uma derrota de 2 a 1 classifica o Cruzeiro. Será necessário, portanto, que o Grêmio consiga o melhor resultado contra o Cruzeiro em Libertadores para conseguir revertera vantagem. Que a história prevaleça.

João Henrique Castro (@jhfcastro), tem 23 anos. Mineiro radicado no Rio de Janeiro,graduado em História pela Universidade Federal de Viçosa, mestrando pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e professor de História. Realiza no Guerreiro dos Gramados, o sonho de poder dividir com a China Azul os seus pensamentos sobre o nosso amado Cruzeiro Esporte Clube. Raramente perde uma partida do clube, mesmo não podendo ir freqüentemente ao estádio. Siga o GDG no twitter: @gdosgramados.

Deixe seu comentário, curta e compartilhe





Mais para você