11 jun Rompimento de contrato com a Minas Arena e atrasos salariais – Problemas no Cruzeiro


Em nota, a empresa responsável pela gerência do Mineirão (Minas Arena) informou nesta terça-feira o rompimento do contrato de fidelidade com o Cruzeiro devido a uma dívida que beira os R$26 milhões. No entanto, os problemas na Toca da Raposa não param por aí: Segundo uma apuração feita pela coluna Jogo Rápido, do Superesportes, os funcionários do clube mineiro ainda não receberam os salários referentes ao mês de maio. 

Cruzeiro x Minas Arena

Não é de hoje que Cruzeiro e Minas Arena possuem suas desavenças. Entretanto, ao que tudo indica a parceria entre as partes chegou ao fim nesta terça-feira (11). Através de uma nota oficial, a empresa anunciou o fim do contrato de fidelidade com a Raposa.

“A Minas Arena e o Cruzeiro firmaram, em 2013, um contrato de fidelidade para que o clube mandasse suas partidas oficiais no Mineirão até o final de 2037. Devido ao inadimplemento do clube desde o segundo semestre de 2013, e após inúmeras notificações e tentativas de soluções amigáveis para a questão, a Minas Arena notificou mais uma vez o clube, em abril/2019, para a quitação de todo o seu débito, o que não ocorreu. Portanto, conforme consta do próprio contrato, o mesmo foi rescindido”
– Afirmou a concessionária. 

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Com o fim do contrato entre Cruzeiro e Minas Arena, o clube perdeu alguns benefícios que apenas ele possuía; como o recebimento de 1/3 da renda com estacionamento e bares, uso gratuito de 100 vagas no estacionamento, empréstimo gratuito de loja no complexo, proibição de que a Minas Arena comercializasse os ingressos da concessionária por preços inferiores, além de pagar somente 70% das despesas operacionais das partidas.

Agora, Cruzeiro e Minas Arena negociam jogo a jogo assim como qualquer outro clube que queira jogar no Gigante da Pampulha, e os percentuais de pagamento (70% do Cruzeiro e 30% da Minas Arena) se mantiveram; contando que o clube pague antecipadamente.

Entretanto, o Cruzeiro informou que as bases do contrato estão sendo cumpridas, com o mesmo seguindo em vigência. O clube ainda destacou que trata a dívida do clube com a concessionária na Justiça. Além disso, afirmou que está discutindo de boa fé os eventuais valores pendentes desde a administração anterior na esfera judicial.

Atrasos Salariais

Segundo apurou a coluna Jogo Rápido, do Superesportes; os funcionários do clube mineiro ainda não receberam os salários referentes ao mês de maio. Os atrasos salariais que não ocorriam há varias gestões, foram motivos de mais embates internos no clube. Em contato com a reportagem feita, o Cruzeiro informou que não comentará sobre os atrasos. 

Diante disso; o fato do atual presidente do Clube, Wagner Pires de Sá, ter promovido uma noite de caldos no parque esportivo do Barro Preto em apoio a chapa “Força Azul” gerou uma repercussão negativa entre os funcionários; deixando uma imagem de que o presidente tem dado mais ênfase à política do clube; deixando em segundo plano o problema salarial dos funcionários.

Por: Guilherme de Carvalho Alves

 


Deixe seu comentário, curta e compartilhe





Mais para você