29 jul Sorín anuncia despedida do futebol


O lateral-esquerdo Sorín, na tarde desta terça-feira anunciou a aposentadoria como atleta de futebol, aos 33 anos de idade.  Emocionado, o ídolo celeste fez uma retrospectiva da carreira e se disse feliz por encerrá-la no Clube que ama.

28.07 - Sorin, lateral - Foto: VipComm“O motivo dessa coletiva é simples. Eu vou parar com o futebol. São 15 anos de carreira, uma carreira muito bonita, muito gostosa, que eu curti muito e tentei sempre dar o melhor de mim, me entregar. Vivi momentos incríveis com essa camisa, assim como a camisa da seleção Argentina, do River Plate, do Argentinos Juniors, do Villarreal, do Paris Saint-Germain. A carreira foi muito rápida, mas acho que chegou o momento de parar bem. É um momento feliz da minha vida, porque estou sendo pai”, afirmou de início.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

O ídolo celeste disse que a terceira passagem pela Toca da Raposa não foi como gostaria. Após se curar de uma lesão grave no joelho direito, Sorín sofreu com estiramentos musculares este ano e atuou em apenas seis dos 46 jogos do time em 2009.

“Trabalhei muito, caí, levantei, tive muitas lesões e superei a mais importante, que foi a do joelho. As últimas foram musculares, nenhuma importante. Mas também não tive a sequência que queria. Joguei seis jogos em sete meses. É muito pouco, não estou orgulhoso desses números. Abri mão de tudo para vir para o Cruzeiro e encerrar minha carreira aqui”, disse.

A ideia de se retirar do futebol começou a amadurecer em 4 de maio, quando Sorín sofreu um estiramento muscular na coxa direita, em treino na Toca da Raposa II. Três dias depois, o Cruzeiro enfrentaria o Universidade de Chile, em Santiago, pelas oitavas-de-final da Copa Libertadores. Foi um duro golpe para quem sonhava alto.

“A decisão é ciente, não tem a ver com uma coisa de cabeça quente. Eu venho pensando em parar há um tempo, desde a lesão que tive antes do jogo contra a Universidad de Chile. Voltei para ganhar a Libertadores, mas jogando. Fiquei muito chateado e me prometi lutar. Lutei até o fim. Voltei e machuquei contra o Palmeiras. Falei que ia estar bem para a final da Libertadores, a gente ia chegar. Cheguei bem, não me arrependi de nada”, contou.

Além de ter ficado fora da final da Copa Libertadores, Sorín lamentou não ter tudo a chance de enfrentar o rival Atlético-MG no dia 12 de julho. Em depoimento comovente, o argentino diz que deixará como legado a grande entrega que tinha em campo.

“Queria jogar contra o Atlético-MG, um clássico incrível. Passei por muitos clássicos no mundo, França, Argentina, Itália. Mas um Cruzeiro x Atlético-MG tem sabor especial. Agradeço ao pessoal do outro lado até pelo respeito. Voltei para isso. O clássico, a final das Libertadores, que tinha a ilusão de jogar. Não tive o espaço e agora também não quero forçar nenhuma situação. Sou um homem feliz. Foram muitos anos no futebol e vou deixar essa carreira sabendo que sempre que vesti a camisa deixei alma, deixei sangue”, afirmou.

Desde que foi apresentado pela primeira vez como jogador do Cruzeiro, em 2000, Sorín construiu uma relação especial com o Cruzeiro e Belo Horizonte. Foi na capital mineira que a esposa Sol deu à luz Elisabetta, a primeira filha do casal, no último dia 31 de março. Tanto que a família não retornará a Buenos Aires por ora.

28.07 - Sorin, lateral  - Foto:VipComm“Agradeço primeiramente ao Cruzeiro, o pessoal na rua, essa torcida maravilhosa pela relação, o carinho, a força, o sustento, a força, a energia. Eu sou cruzeirense já, além de argentino-mineiro como falava. Vou ficar morando aqui com a minha família, minha filha todo mundo sabe que nasceu aqui”, relatou.

Sorín dedicou um agradecimento especial para o presidente celeste, Zezé Perrella, que disponibilizou a estrutura do Centro Avançado de Reabilitação Esportiva (CARE) para que ele se curasse da séria lesão no joelho direito, sofrida no Hamburgo, da Alemanha. Já houve um diálogo para que a relação entre Sorín e Cruzeiro se estenda.

“Agradeço fundamentalmente ao presidente, que abriu as portas para a minha recuperação, para que hoje pelo menos possa sair desse Clube treinando bem, olhando todo mundo nos olhos e sabendo que superei essa lesão, esse momento de dificuldade. O presidente também abriu as portas para o futuro, já fez alguma proposta que eu falei para segurar um pouco. Prefiro pensar”, comentou.

Mesmo que formalmente não venha a ter vínculo com o Cruzeiro, Sorín jamais deixará de ter no peito as cinco estrelas que distinguem o Clube.

“Minha ligação com o Cruzeiro vai ser eterna. Encontrei o amor aqui, me adotaram e adotei a cidade e o pessoal de Minas Gerais como talvez nunca esperava. Prefiro ficar com essa sensação de emoção, alegria, raça, que me deram o futebol e tantos anos de carreira. Jogar duas Copas do Mundo, ganhar o Mundial Sub-20 como capitão, ser o capitão da Argentina. Foram muitas coisas boas. Por sorte, muito mais boas que ruins”, disse.

Juan Pablo Sorín disputou 126 jogos e marcou 18 gols pelo Cruzeiro. Conquistou a Copa do Brasil 2000, o bicampeonato da Copa Sul-Minas em 2001 e 2002 e o Campeonato Mineiro 2009. Nas três passagens, de 2000 a 2002, em 2004 e de 2008 a 2009, o argentino cativou os torcedores pela maneira com que envergou a camisa celeste e tornou-se um dos maiores ídolos do Clube.

Ficha técnica de Sorín

Nome completo: Juan Pablo Sorín
Posição: Lateral-esquerdo
Data Nascimento: 05/05/1976
Naturalidade: Buenos Aires-ARG
Altura: 1.73 m
Peso: 67 kg
Jogos: 126
Gols: 18
Carreira: Argentinos Juniors-ARG (1984-1995); Juventus-ITA (1995-1996); River Plate-ARG (1996-1999); Cruzeiro (2000-2002); Lazio-ITA (2002-2003); Barcelona-ESP (2003); Paris Saint-Germain-FRA (2003-2004); Cruzeiro (2004); Villarreal-ESP (2004-2006); Hamburgo-ALE (2006-2008); Cruzeiro (09/2008 – 2009)
Estreia no Cruzeiro: Cruzeiro 1 x 1 Juventude, em 12/2/2000, em Caxias do Sul, pela Copa Sul Minas
Títulos: Liga dos Campeões da Europa 1995; Libertadores da América 1996; Torneio Apertura 1996; Supercopa 1997; Torneio Apertura 1997; Torneio Clausura 1997; Torneio Apertura 1999; Copa do Brasil 2000; Copa Sul Minas 2001; Copa Sul Minas 2002; Copa da França 2003/2004; Vice-campeão Campeonato Francês 2003/2004; Campeonato Mineiro 2009
Feitos: Bola de Prata Revista Placar 2000; Melhor lateral-esquerdo das Américas 2000/01 (Jornal El País-URU)
Seleção Argentina: 76 jogos e 11 gols, entre 1995 e 2006. Disputou as Copas do Mundo de 2002 e 2006
Títulos Seleção Argentina: Jogos Pan-Americanos 1995; Campeonato Mundial de Juniores 1995; Vice-campeão Copa América 2004 (Peru)

Fonte: Site oficial do Cruzeiro


Deixe seu comentário, curta e compartilhe





Mais para você