29 maio Uma bola! Eles só queriam uma bola…


Uma bola! Eles só queriam uma bola... Foto: Alan Morici / Terra

Salve Guerreiros! É sempre muito difícil escrever essa coluna após uma derrota, ainda mais nas circunstâncias em que ela ocorreu. A sensação que passa é que nosso treinador não estudou o adversário, mas não o estou responsabilizando, é apenas especulação minha. O Corinthians há vários anos é isso aí, um time medíocre, covarde, defensivista e que joga por uma só bola! Eles conseguiram o objetivo deles.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

O Jogo

Jogo de muito equilíbrio. A maior posse de bola da Raposa não representou objetividade ofensiva. O Cruzeiro abusou dos passes laterais e de jogadas muito centralizadas e as poucas vezes que apresentou perigo ao timão foi quanto utilizou os flancos do campo.

Primeiro tempo

Um Corinthians trancado na defesa com uma linha de quatro atrás e dois volantes destruidores. Everton Ribeiro, ao contrario de domingo, fez uma partida abaixo do que pode render. Gostei da boa movimentação do Goulart que demonstra que vai recuperando seu futebol. A Raposa não conseguiu furar o bloqueio alvinegro para encontrar seu gol. Poderia tê-lo feito se forçasse um pouco mais o jogo.

Segundo tempo

Praticamente um replay do primeiro, com uma diferença. O timão achou um gol ridículo em uma falha coletiva do Cruzeiro. Coletiva? Sim, coletiva. Willian Farias errou o tempo de bola e ficou assistindo o Paolo dominar, tabelar e finalizar para o gol. A zaga composta por Léo e Bruno Rodrigo também só assistiram ao lance e finalmente o Fábio que depois de muito tempo cometeu uma falha bisonha, daquelas dignas de mico da rodada, ou bola murcha e toda zoeira que se pode produzir.

Opinião

Willian Farias veio a pedido do Marcelo Oliveira. Errou no peixe, viu Marcelo? O cara é fraco demais para vestir a camisa que “entorta o varal”.  Demorou em demasia para substituir e quando o fez, mexeu errado. Tirar o Henrique e deixar o Farias em campo, aliás, só pelo sobrenome já não deveria estar no Cruzeiro. A entrada do Julio Baptista também foi questionável. Ele não vem bem, e não iria como de fato houve resolver o jogo desta quarta. Ponto positivo foi ouvir o Fábio assumir a responsabilidade. Parabéns Fábio! Atitude de capitão, atitude de homem. Deu um belo exemplo ao Pablo.

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS 2 X 0 CRUZEIRO

Local:  Estádio do Canindé, em São Paulo (SP)
Data: 28 de maio de 2014, quarta-feira
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (PA)
Público: 17.684 pagantes
Renda: R$ 546.413,00
Cartões amarelo: Petros e Cleber (Corinthians)

Gol: Guerrero

CORINTHIANS: Walter; Fagner (Guilherme Andrade), Cleber, Gil e Fábio Santos; Ralf, Bruno Henrique, Petros (Danilo) e Jadson; Romarinho (Luciano) e Guerrero
Técnico: Mano Menezes

CRUZEIRO: Fábio; Ceará (Mayke), Léo, Bruno Rodrigo e Egídio; Willian Farias e Henrique (Julio Baptista); Everton Ribeiro, Ricardo Goulart e Willian (Dagoberto); Borges
Técnico: Marcelo Oliveira

Agora é fechar a fase pré-copa domingo contra o Flamengo com uma vitória e a manutenção da liderança e viajar para os “States”, fazer uma boa preparação para a sequencia do Brasileiro.

Guerreiro dos Gramados. Nossa torcida! Nossa força!


Deixe seu comentário, curta e compartilhe





Mais para você