26 mar Vencer, ou vencer (Cruzeiro 2 x 1 Tupi – Campeonato Mineiro Semifinal)


Salve, guerreiros!

O Cruzeiro está em mais uma final de Campeonato Mineiro, como era de se esperar. Entretanto, a Raposa precisa ter seus olhos bem abertos no quesito arbitragem. Foram inúmeros “erros” favoráveis a nosso adversário da final, o rival Atlético MG. Ainda vimos vários erros prejudicando o time estrelado nos últimos jogos. A pintura de Thiago Neves, por exemplo, muitíssimo mal anulado na manhã deste domingo quando o jogo ainda estava empatado, a expulsão “mandrake” de Ariel Cabral no primeiro jogo das semis, e por aí vai… Abre teu olho, Cruzeiro! A única esperança de felicidade do “Átomo mineiro” esse ano é vencer essa final. Aliás, falando na molécula, o que teve de torcedor do CAM comemorando a lesão do Fred… muito pequenos, mínimos,realmente moleculares. Falando nisso, força Fred! Sabemos que você sempre quis voltar ao Maior de Minas e nos dar títulos que não conseguiu na primeira passagem aqui, você vai conseguir. Nossa torcida e oração é para que sua recuperação ocorra o mais rápido possível.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

O jogo

O Cruzeiro fez um jogo tranquilo neste domingo. O Tupi tinha a obrigação e tentou impor-se, mas, em seus domínios a Raposa é mortal. Houveram nas redes sociais algumas críticas à postura celeste de jogar com o regulamento, mas, este colunista concorda com o Mano Meneses. Não há necessidade de forçar a barra no Campeonato Mineiro. Teremos três jogos importantes na próxima semana, sendo dois clássicos e o primeiro jogo em casa pela Libertadores contra o Vasco. Não podemos nem cogitar perder pontos para o time da Colina, que também virá pressionado por ter perdido a primeira partida, assim como o Cruzeiro.

Primeiro tempo

Nesta etapa da partida o Tupi até tentou fazer sua graça, precisava do resultado ou estaria eliminado. Mas o poderio celeste neutralizou rapidamente a ousadia do time de Juiz de Fora. Necessário salientar o bom trabalho realizado pelo comandante Ricardo Leão do campeão do interior. Foi a única equipe a conseguir vazar a defesa celeste no Mineirão neste campeonato mineiro. Com naturalidade o Cruzeiro chegou ao seus gol, Thiago Neves abre o placar e amplia ainda mais a vantagem da Raposa. O Tupi empata logo em seguida em chute da entrada da área no cantinho direito defendido por Rafael. Nas redes rolou a discussão se Fábio pegaria ou não essa bola, mas, não podemos considerar que Rafael tenha falhado. A finalização foi muito correta. Thiago Neves logo depois, recebe em condição legal uma bola de Robinho, avança e toca por cobertura para fazer um golaço de cinema, mas, o péssimo trabalho realizado pelo bandeira Gabriel Conti Viana, com vários erros anulou a bela jogada de Neves. Uma lástima!

Segundo tempo

A Raposa volta para o segundo tempo bem postada, não sofre praticamente nenhuma investida do Galo Carijó. O fraco Bruno Silva da lugar a Ezequiel com Romero sendo deslocado para sua posição de origem. O Cruzeiro cozinha o Carijó até os 35′ desta etapa quando dá o tiro de misericórdia com Neves marcando seu terceiro gol da manhã, uma pena que só valeram dois. Gostaria de saber que música ele pediria no Fantástico (risos). Thiago ainda protagonizou um lance de rara genialidade ao salvar na linha de fundo com o ombro uma bola que muitos considerariam perdida, valeu o ingresso.

Por motivos óbvios, o homem que faz nevar é nosso Guerreiro de ouro de hoje. Guerreiro de lata, mais uma vez, fica com Bruno Silva. Exatamente quando estava escrevendo o texto, chega um amigo botafoguense para falar comigo ao que eu perguntei: Posso devolver o Bruno Silva? Ele prontamente respondeu: “Pode! O Botafogo está precisando dele”, e acrescentou: “Não adianta né!? Tem jogador que só joga em time pequeno!” Fui obrigado a concordar. Entretanto, já que veio, mantenho a esperança que em algum momento o jogador deslanche. Vamos aguardar.

A Raposa agora enfrenta seu rival caseiro na final, e mais uma vez não custa nada avisar, CUIDADO COM A ARBITRAGEM! Tem que jogar muita bola para não ser surpreendido por um desses “erros” que tanto favoreceram o Atlético esse ano. Até lá, China Azul.

Guerreiro dos Gramados. Nossa torcida, nossa força!

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 2 X 1 TUPI

Local: Estádio Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Data: 25 de março de 2018, quarta-feira
Horário: 11h (de Brasília)
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães
Auxiliar: Rodrigo Henrique Correa e Gabriel Conti Viana

Gols: Thiago Neves, aos 16 minutos do primeiro tempo, e aos 35 do segundo tempo (Cruzeiro); João Vitor, aos 19 minutos do primeiro tempo (Tupi)
Cartões: Rodrigo Dias, Patrick Brey (Tupi)

CRUZEIRO – Rafael, Lucas Romero, Léo, Murilo, Egídio; Henrique, Bruno Silva (Ezequiel), Robinho, Thiago Neves, Rafinha e Fred (Raniel).
Técnico: Mano Menezes

TUPI – Vilar; Rodrigo Dias, Sidimar, Wellington e Patrick Brey; Léo Costa e Léo Salino; João Vítor (Patrick), Thiaguinho, Renato Kayser; Reis.
Técnico: Ricardo Leão

Por: Álvaro Jr


Deixe seu comentário, curta e compartilhe





Mais para você